Livros

Clube do Livro da Reese Witherspoon

A atriz Reese Witherspoon como uma grande apaixonada por Livros decidiu criar o Reese’s Book Club (Clube do Livro da Reese). O clube possui o site (lincado acima e sim ‘lincado’ está correto) e o aplicativo e consiste em apresentar e dar palco para autoras, dando ênfase na perspectiva feminina.

Há também o Hello Sunshine que têm site e canal no YouTube, com o mesmo objetivo de focar nas mulheres e suas histórias, no site temos acesso a podcasts, e loja de artigos de papelaria e vestuário.

O Clube do Livro da Reese começou dentro do Hello Sunshine mas essa comunidade cresceu tanto que se fez necessário ter sua própria identidade, alguns dos livros aprovados pelo Clube se tornaram filmes e series como por exemplo Pequenos Incêndios Por Toda Parte da autora Celeste Ng, Livre da Cheryl Strayed, Big Little Lies da Liane Moriarty e Garota Exemplar da Gillian Flynn.

Há uma grande importância em artistas formarem Clubes do Livro, assim como a apresentadora Oprah que também tem seu clube do Livro, ou artistas que simplesmente usam as redes sociais para mostrar livros que gostaram pois isso aumenta o interesse da população geral na aquisição desses livros, assim como aconteceu com Um Lugar Bem Longe daqui da autora Delia Owens que se tornou um dos livros mais vendidos.

Segue algumas recomendações do Reese’s Book Club:

Filmes

Filme de Domingo: Uma Dobra no Tempo

Título Original: A Wrinkle In Time

Lançamento: 2018

Diretor: Ava DuVernay

Gênero: Fantasia

Sinopse: Os irmãos Meg e Charles decidem reencontrar o pai, um cientista que trabalha para o governo e está desaparecido desde que se envolveu em um misterioso projeto. Eles contarão com a ajuda do colega Calvin e de três excêntricas mulheres em uma ousada jornada por diferentes lugares do universo.

Trailer:

Opinião do Bananas: Baseado no Livro infanto-juvenil de mesmo nome, parte de uma trilogia, escrito pela autora Madeleine L’Engle e publicado no Brasil pela Editora Dark Side.

O filme infanto juvenil trouxe um elenco de peso, figurinos extravagantes, maquiagens lindas e cenários e efeitos que valem o gasto.

O filme teve muita crítica negativa por ter um roteiro ruim, e pouco desenvolvimento mas o que algumas pessoas deixam de lembrar é que esse filme tem como público alvo as crianças, então é normal ser previsível e cheio de melosidades.

Observando o filme com essa perspectiva, vemos que há ensinamentos voltados para as crianças, como:

  • Importância de aceitar a si mesmo, da forma como você é para que tudo ao seu redor dê certo;
  • Aprender sobre certo, errado, bondade, maldade;
  • Aprender a lidar com perdas;
  • Ver que a única coisa que impede você de crescer é você mesmo;
  • As dificuldades, desafios e obstáculos da vida;
  • Dar valor as pessoas que nos amam;
  • Que a maldade vem de dentro de si e não pode ser destruída sem esforço e sacrifício;
  • E o nossos maiores poderes são o conhecimento, criatividade, inteligência e amor.
  • Que não se deve confiar em estranhos.

Existem várias lições que para adultos torna o filme chato, irritante, sem conteúdo por que já sabemos de tudo isso, mas para crianças é um universo diferente é uma viagem sem sair do lugar, a criança aprende a crescer, tanto que as 3 guias se chamam Sra. Quem, Sra. Qual e Sra. Qqueé (Que que é), que são perguntas que devem ser feitas pra aprender.

04 bananinhas
Filmes

Filme de Domingo- Livre

Título Original: Wild

Lançamento: 2014

Diretor:  Jean-Marc Vallée

Gênero: Drama, Biografia.

Sinopse: Com o término de seu casamento e a morte da sua mãe, Cheryl Strayed perdeu toda a esperança. Depois de anos de comportamento destrutivo e imprudente, ela toma uma decisão precipitada. Com absolutamente nenhuma experiência, motivada apenas por pura determinação, Cheryl caminha mais de mil milhas do Pacific Crest Trail, sozinha. Livre poderosamente mostra os terrores e prazeres de uma jovem mulher avançando contra todas as possibilidades em uma jornada que enlouquece, fortalece e finalmente lhe cura. (via: Rotten Tomatoes)

Trailer:

Trilha Sonora:
– El Condor Pasa (If I Could) – Simon & Garfunkel;
– Walk Unafraid – First Aid Kit;
– Let ‘Em In – Wings;
– I Can Never Go Home Anymore – the shangri-las;
– Suzanne – Leonard Cohen;
– Don’t Be Cruel – Billy Swan;
– Be My Friend (BBC Session / Take 1) Free;
– Something About What Happens When We Talk – Lucinda Williams;
– Glory Box – Portishead;
– Tougher Than the Rest – Bruce Springsteen;
– Are You Going with Me? – Pat Metheny Group;
– The Air That I Breathe – The Hollies;
–  Homeward Bound – Simon & Garfunkel;
– Ripple – Dusted and Eric D. Johnson;
– Red River Valley Evan O’Toole;
– Beck – Turn Away;

Opinião do Bananas: Mais um filme baseado em livro mas dessa vez é uma biografia escrito pela própria Cheryl Strayed, de nome Livre – A Jornada de Uma Mulher Em Busca do Recomeço.

Nota: ainda não li o livro mas já ouvi rumores que é um tanto diferente da película.

Curiosidade: a atriz infantil que faz a Cheryl criança é na realidade filha da Cheryl Strayed.

Bom…é filme surpreendente que evolui junto com a experiência que o personagem adquire na jornada. A história é um aprendizado sobre viver com aquilo que não podemos controlar.

A história se passa em 1995 e são poucos os elementos que te fazem ter essa noção do tempo.

Fatores que me surpreenderam foram os momentos em que ela começou a entender e superar aquilo que a segurou por tanto tempo, ela não tem mais onde morar, não tem emprego, tudo se perdeu.

Quando ela descobre que está grávida é quando realiza que chegou no fundo do poço e que não pode continuar a destruir a própria vida, assim ela toma essa decisão de ficar sozinha com sua própria mente e seus problemas, talvez em uma tentativa de repensar em tudo e possivelmente sair disso com uma solução.

O momento em que ela perde uma das botas o mesmo momento que lhe vem a lembrança da morte de sua mãe é quando ela extravasa a raiva contida por não ter mais tempo com a mãe.

Quando em Oregon, ela escreve ao ex-marido que desde que o conheceu escreve seu nome na areia de todas as praias pelo qual passou, porém aquela seria a última vez, assim ela deixa pra trás a tristeza do divórcio.

São vários momentos em que você observa a constante batalha da personagem em busca de dar continuidade a vida tentando ultrapassar esses obstáculos.

“E se eu me perdoar? E se eu sentisse muito? Mas se eu pudesse volta no tempo, não faria nada diferente. E se tudo o que fiz foi o que me trouxe até aqui?”

05 bananinhas