Filmes

Filme de Domingo: Quase Deuses

Título Original: Something the Lord Made

Lançamento: 2004

Diretor:  Joseph Sargent

Gênero: Drama/Fatos Reais

Sinopse: Quase Deuses conta a história verdadeira e emocionante de dois homens que desafiaram as regras em sua época para iniciar uma revolução médica. Na Baltimore dos anos 40, o Dr. Alfred Blalock e o técnico de laboratório Vivien Thomas realizam cirurgias cardíacas usando uma técnica sem precedentes, atuando como equipe de uma maneira impressionante. Mas ao mesmo tempo em que travam uma corrida contra o tempo para salvarem a vida de um bebê, ambos ocupam diferentes condições sociais na cidade. Blalock é o saudável homem branco que comanda o Departamento Cirúrgico do Hospital Johns Hopkins; Thomas é negro e pobre, um habilidoso carpinteiro. Quando Blalock e Thomas desbravam um novo campo da medicina, salvando milhares de vidas graças ao processo, as pressões sociais ameaçam minar sua parceria e por um fim à amizade que nasceu entre eles.

Trailer: *Trailer com baixa qualidade* (foi o único que achei)

Opinião do Bananas: Não sei por que demorei tanto pra falar desse filme aqui no Blog, tendo em vista que é um dos meus filmes favoritos.

Um filme de impacto que mostra bem como a segregação racial age e ainda interfere no desenvolvimento e descobertas de grande benefício pra sociedade. A escolha do elenco foi excelente entregando uma atuação emocionante.

Encontrei uma reportagem sobre Vivien Thomas e seu legado, que mostra um pouco de tudo o que foi preservado no Hospital e Instituto de Pesquisa Johns Hopkins e também o Vivien T. Thomas Medical Arts Academy que é uma escola preparatória profissional na área da saúde com foco em diversidade e inclusão.

05 bananinhas
Livros

50 Tons de Cinza- E. L. James

Autor: E. L. James

Título Original: 50 Shades of Grey

Editora: Editora Intrínseca

Tradução: Adalgisa Campos da Silva

Lançamento: 2012

Páginas : 480

Gênero- Categoria: Erótico

Sinopse: Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja – mas em seus próprios termos.

Opinião do Bananas: Finalmente li 50 tons, esse foi particularmente um livro difícil de ler (tentei lê-lo 4 vezes anteriormente), tanto pela fama quando foi lançado quanto pela escrita ruim e é por aí que vou começar.

Para o tipo de história a escrita é juvenil/adolescente, descrição dos personagens também não é das melhores, sendo confusa assim como os diálogos que nem sempre são bem definidos. Christian é descrito de formas diferentes mesmo que sutis ora é um homem autoritário, ora um garoto cheio de si, já Anastacia em um momento ela é tímida demais e em outro é super auto confiante. As cenas de sexo são contadas de maneira tão boba que me fez rir diversas vezes “como aço recoberto de veludo” é como Anastacia descreve o falo de Christian.

Anastacia menciona sua deusa interior mas se diminui muito e coloca Christian em um pedestal nada digno de uma deusa interior que emana feminilidade e poder, a cada dois parágrafos tem pelo menos uma frase com Anastacia embasbacada por Christian, ela fica feliz com migalhas de atenção e ele a trata como propriedade sendo rude e possessivo. O livro força uma imagem inocente de Anastacia e força ainda uma atração entre Ana e Grey quase desesperada.

O livro trás uma luz para o BDSM mas é falado tão superficialmente sem detalhes, regras e notas importantes para essa comunidade que chega a ser perigoso ao leitor, criar o interesse em algo sem o mínimo de cuidado, como por exemplo quando ele nota que ela é fraca para bebidas alcoólicas e faz ela beber para discutirem os limites de dor que ela tem, e é senso comum que você deve estar sóbrio e em plenas faculdades mentais para conversar sobre consentimento e limites de dor.

Para os que não conhecem 50 Tons é fanfic derivada de Crepúsculo, por isso tem personagens e momentos semelhantes a Crepúsculo. 50 tons é parte de uma trilogia seguida por 50 tons mais escuros e 50 tons de liberdade, após o sucesso a autora decidiu escrever toda a história pela visão do Christian (por que isso agora tá na moda aparentemente) gerando os livros Grey de 2015, Mais Escuro de 2018 e Livre de 2021.

Algo que dizem os fãs, é que a escrita melhora com os próximos livros e vamos esperar que seja verdade, pois o primeiro não foi uma experiência boa.

02 bananinhas
Filmes

Filme de Domingo: Millennium: A Garota na Teia de Aranha

Título Original: The girl in the Spider’s web

Lançamento: 2018

Diretor:  Fede Alvarez

Gênero: Drama/Ação

Sinopse: Contratada para recuperar um programa poderosíssimo, a hacker Lisbeth Salander se vê envolvida em uma rede de mentiras inesperadamente familiar.

Trailer:

Opinião do Bananas: Baseado em livros do Jornalista Stieg Larsson, a trilogia Millenium tem uma história triste. Pouco antes dos livros serem publicados Larsson faleceu vítima de um ataque cardíaco, com isso outro escritor por nome de David Lagercrantz deu continuidade ao legado de Larsson escrevendo mais 3 livros.

A garota na teia de aranha é baseado no quarto livro homônimo, os três primeiros livros também possuem filmes sendo que o primeiro tem duas versões um de 2009 e outro de 2011.

Claire Foy sempre impecável interpretando uma versão punk de um Robin Hood do mundo cibernético, filme cheio de ação e momentos de tensão bem pensados.

Assistindo o filme acendeu o interesse nos livros mas preciso assistir os outros para entender melhor a trama.

04 bananinhas
Livros

Textos Cruéis Demais para Serem Lidos Rapidamente- Igor Pires

Autor: Igor Pires

Ilustrações: Anália Moraes

Editora: Globo Alt

Lançamento: 2017

Páginas : 226

Gênero- Categoria: Poesia?

Sinopse: Indo contra a tendência dos textos curtos e superficiais que são postados nas redes sociais, o coletivo literário Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente (TCD) passou a produzir e compartilhar um conteúdo extenso, profundo e extremamente poético em suas páginas no Facebook e no Instagram. Com seus escritos e ilustrações, eles acabaram atingindo um público muito maior do que o esperado, nos mostrando como, apesar da crescente agilidade que nossa comunicação exige, ainda precisamos de tempo para digerir e entender nossas complexas relações humanas.

Opinião do Bananas: A primeira coisa a ser dita é que essa não é uma leitura que agrada a todos, em algumas partes é agoniante, pesado. A escrita é boa mas o conteúdo não é muito pra mim, não sou o público alvo desse livro

A diagramação poderia melhora muito a impressão que dá é de desleixo ou algo impresso as pressas (talvez tenha sido intencional).

“A que nível de auto destruição nós estamos fadados?”

A escrita é de alguém que teve o coração despedaçado, que se entregou a um amor sem futuro, o tipo de leitura para um público muito específico. Textos muito íntimos e profundos de amores grudentos e emocionalmente dependentes, com notas bem adolescente sofrendo por primeiro amor ou um amor não correspondido.

“Escrever é o ato, no entanto, mais corajoso que existe”

02 bananinhas
Filmes

Filme de Domingo: Náufrago

Título Original: Cast Away

Lançamento: 2001

Diretor:  Robert Zemeckis

Gênero: Drama

Sinopse: A vida de Chuck Noland, um executivo hiperativo da empresa de correios FedEx, muda abruptamente quando sua areonave cai numa ilha deserta na véspera de Natal.

Trailer:

Opinião do Bananas: Filme com indicação ao Oscar, e vencedor de diversas outras premiações incluindo Globo de Ouro. Considerado um clássico do cinema o Náufrago trás uma história fictícia (Sim, fictícia. Muitas pessoas ainda acham que Náufrago é baseado em fatos reais) de resiliência e esperança e mostra muito bem o peso emocional que o personagem sofre, dando certa agonia em quem assiste por ver a solidão e o desespero do personagem.

A representação de uma mudança brusca na própria vivência e o desapego de emoções e coisas materiais como algo quase espiritual que leva a aquele que assiste a uma auto reflexão nos fazendo pensar no que realmente importa. É um filme muito bom, inteligente e reflexivo.

05 bananinhas
Filmes

Filme de Domingo: Harry Potter De Volta à Hogwarts

Título Original: Harry Potter Back to Hogwarts

Lançamento: 2022

Diretor: Casey Patterson, Eran Creevy, Joe Pearlman, Giorgio Testi.

Gênero: Documentário

Sinopse: Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson se juntam ao cineasta Chris Columbus e a outros estimados membros do elenco dos oito filmes de Harry Potter em uma viagem de volta a Hogwarts para celebrar o aniversário do primeiro filme da franquia, Harry Potter e a Pedra Filosofal, que estreou há 20 anos. A comemoração de 20 anos de Harry Potter: De Volta a Hogwarts contará uma história adorável de making-of por meio de novas entrevistas e bate-papos com o elenco, convidando os fãs a embarcar em uma jornada mágica em primeira pessoa por uma das franquias mais amadas de todos os tempos.

Trailer:

Opinião do Bananas: Maravilhoso voltar nesse universo observando o por trás das câmeras depois de tanto tempo, e a visão dos atores em como alterou o curso da vida de cada um. Em formato de documentário, com entrevistas e comentários, com cenas dos filmes, e detalhes sobre as gravações De Volta à Hogwarts agrada muito bem aos fãs.

05 bananinhas
Livros

A Revolução dos Bichos – George Orwell

Autor: George Orwell

Título Original: Animal Farm

Editora: Editora Principis

Tradução: Karla Lima

Lançamento: 1945

Páginas : 96

Gênero- Categoria: Literatura Inglesa/Fábula

Sinopse: Uma fazenda é tomada por seus animais maltratados e sobrecarregados. Cheios de idealismo, eles se propõem a criar um paraíso de progresso, justiça e igualdade, administrando o local por conta própria. Os porcos, então, assumem o comando e, com suas habilidades de alfabetização, vão aos poucos mudando as regras que os animais haviam estabelecido previamente. Dessa forma o palco está montado com uma crítica muito bem escrita de como os ideais socialistas são corrompidos por pessoas poderosas, como as massas iletradas são aproveitadas e como os líderes comunistas se transformam em capitalistas

Opinião do Bananas: Um livro curto porém bastante impactante e atemporal. Apontando que o ‘meio’ muda o homem seja este quem for, por ambição e conforto independente de causas maiores e honrosas.

Autoridade, poder e liderança são pontos feitos para poucos, mas aproveitados por muitos e em sua maioria com intuitos egoístas.

Este é um livro político em forma de sátira que alfineta a Rússia stalinista, mostrando todos os ideais que foram distorcidos, a Revolução dos Bichos é uma leitura que incomoda por ser tão pontual e atual.

04 bananinhas
Seriados

Seriado: And Just Like That

Status: Encerrada

Gênero: Comédia dramática/ Romance

Criador:  Roberto Aguirre-Sacasa (autor da HQ)

Temporadas: 1

Lançamento: 2021

Sinopse: Um novo capítulo de Sex And The City, com 10 episódios dando continuidade na complicada realidade da amizade, família e a vida em Nova York aos 50 anos.

Trailer:

Opinião do Bananas: Como havia mencionado no Maratonando de Sex and the City voltei trazendo uma segunda parte sobre o universo de Carrie Bradshaw. Digo logo que não foi interessante ver o rumo e a liberdade criativa que tomaram com a série, claro que mantiveram alguns elementos do original mas pouquíssimo ao meu ver.

Carrie continua egoísta, auto intitulada e cheia de si, não gostei do “destino” que deram a personagem Samantha tendo em vista que por sua personalidade ser tão leve, decidida, desapegada e mente aberta esta jamais cortaria laços de amizade com Carrie da forma como ocorreu. Miranda foi completamente desconstruída (de uma maneira ruim diga se de passagem), totalmente fora do era no original, perdendo todo foco do personagem, sendo agora alcoólatra, uma pessoa que repele tecnologia (quando no original o contrário era a realidade, pois nunca largava seu blackberry), a parte da personagem que se manteve foi a inconstância dos seus desejos e objetivos, nunca satisfeita com a vida que leva.

A única que ainda manteve um pouco de suas características foi Charlotte sempre exagerada, puritana, focada em ter uma família perfeita, Carrie não é uma boa amiga, não tem paciência para ouvir as amigas e seus problemas, sempre super dramática e claro a cena do ataque cardíaco de John que sabemos que dava tempo de tê-lo salvo mas ela agiu como se ele já tivesse morrido no lugar de imediatamente chamar ajuda (morando num prédio luxuoso com porteiro 24 horas era só ligar na portaria e pedir socorro), ou pelo menos tirar ele do chão molhado mas de acordo com o produtor da série Michael Patrick King a morte de Big já estava planejada para o terceiro filme, que não se realizou permanecendo apenas 2 filmes.

Senti com esse revival que Sarah Jessica Parker que também é produtora executiva da série não consegue deixar a glória de ser Carrie Bradshaw para trás, a série simplesmente perdeu sua essência mas pelo menos pudemos ver o trabalho da atriz Cynthia Nixon que interpreta Miranda como diretora de um dos episódios. O Episódio dirigido por Cynthia Nixon foi o 6 “Diwali”.

A autora do livro Candace Bushnell em uma entrevista para o The New Yorker disse não ter gostado do revival por não enxergar a história que criou e se assustar com algumas decisões tomadas na série. A autora fala ainda que não reconhece seu personagem Carrie da forma como a escreveu sendo representada no seriado desde que Carrie começou a ter um caso com o Big, de acordo com a autora nada disso encaixa com o que a mesma descreve sobre este personagem e sua evolução.

Sobre And Just Like That, sabemos que até o momento não tem notícias sobre uma segunda temporada e imagino que não haverá, a personagem de Samantha Jones foi incluída apenas com mensagens de texto trocadas com Carrie mas a atriz Kim Cattrall não voltou a interpretá-la, e ainda foi produzido um documentário sobre esse retorno de Sex and The City chamado And Just Like That… The documentary que é somente um por trás da câmeras mostrando figurino, bastidores e produção de como foi trazer novamente esse universo para as telas.

Me falta ainda ler os livros da autora mas isso fica pra outro momento.

03 bananinhas
Livros

Antologia Poética -Carlos Drummond de Andrade

Autor: Carlos Drummond de Andrade

Lançamento: 1998

Páginas : 271

Gênero- Categoria: Poesia Brasileira

Sinopse: Ao organizar este volume, o autor não teve em mira, propriamente, selecionar poemas pela qualidade, nem pelas fases que acaso se observem em sua carreira poética. Cuidou antes de localizar, na obra publicada, certas características, preocupações e tendências que a condicionam ou definem em conjunto. A Antologia lhe pareceu assim mais vertebrada e, por outro lado, espelho mais fiel. Escolhidos e agrupados os poemas sob esse critério, resultou na Antologia que não segue a divisão por livros nem obedece a cronologia rigorosa. O texto foi distribuído em nove seções, cada uma contendo material extraído de diferente obras, e disposto segundo um ordem interna.

Opinião do Bananas: Gosto muito de Drummond mas essa Antologia não foi totalmente do meu agrado. Esse livro é como um caminho através da vida do autor, sua família, seus amigos, seus amores, sua cidade natal e a evolução de sua escrita e nisso nem todos os textos são bem escritos ou significam alguma coisa, e em certas passagens parece até um monologo sobre sua vida meio parada.

” Amou. E ama. E amará.
Só não quer que seu amor seja uma prisão de dois,
um contrato, entre bocejos
e quatros pés de chinelos”.

Tive sim algum prazer nessa leitura mas a maioria do entretenimento para mim foi a partir da página 196 com título Tentativa de Exploração e de Interpretação do Estar-no- Mundo. Ainda assim recomendo a leitura pois é uma boa forma de entender poesia com tudo que lhe envolve e assimilar a diferença na escrita de Drummond.

03 bananinhas
Filmes

Filme de Domingo: O Apostador

Título Original: The Gambler

Lançamento: 2014

Diretor: Rupert Wyatt

Gênero: Drama

Sinopse: O professor de literatura Jim Bennett leva uma vida secreta como jogador de grandes apostas. Ele sempre se arrisca e pede dinheiro emprestado para um gângster, oferecendo sua própria vida como garantia. À medida que seu relacionamento com uma estudante se consolida, seu vício irrefreável o coloca em uma situação de vida ou morte.

Trailer:

Opinião do Bananas: Esse filme me deixou dividida ora gostava ora odiava, mas no veredito final é um filme muito bom.

O personagem principal, professor de Universidade, escritor e em uma constante e destrutiva crise existencial, beirando o suicídio. Um crise que foi instalada na sua mente por pressão familiar de seguir um caminho que não era seu, criando assim, um pensamento frequente de que só vale a pena viver (ou tomar espaço no mundo) se você for alguém excepcional, fazendo com que este busque sempre isso para si. Busca esta que esteve sempre em um caminho errado desde o inicio abandonando que verdadeiramente é.

04 bananinhas