Filmes

Filme de Domingo: Náufrago

Título Original: Cast Away

Lançamento: 2001

Diretor:  Robert Zemeckis

Gênero: Drama

Sinopse: A vida de Chuck Noland, um executivo hiperativo da empresa de correios FedEx, muda abruptamente quando sua areonave cai numa ilha deserta na véspera de Natal.

Trailer:

Opinião do Bananas: Filme com indicação ao Oscar, e vencedor de diversas outras premiações incluindo Globo de Ouro. Considerado um clássico do cinema o Náufrago trás uma história fictícia (Sim, fictícia. Muitas pessoas ainda acham que Náufrago é baseado em fatos reais) de resiliência e esperança e mostra muito bem o peso emocional que o personagem sofre, dando certa agonia em quem assiste por ver a solidão e o desespero do personagem.

A representação de uma mudança brusca na própria vivência e o desapego de emoções e coisas materiais como algo quase espiritual que leva a aquele que assiste a uma auto reflexão nos fazendo pensar no que realmente importa. É um filme muito bom, inteligente e reflexivo.

05 bananinhas
Seriados

Seriado: And Just Like That

Status: Encerrada

Gênero: Comédia dramática/ Romance

Criador:  Roberto Aguirre-Sacasa (autor da HQ)

Temporadas: 1

Lançamento: 2021

Sinopse: Um novo capítulo de Sex And The City, com 10 episódios dando continuidade na complicada realidade da amizade, família e a vida em Nova York aos 50 anos.

Trailer:

Opinião do Bananas: Como havia mencionado no Maratonando de Sex and the City voltei trazendo uma segunda parte sobre o universo de Carrie Bradshaw. Digo logo que não foi interessante ver o rumo e a liberdade criativa que tomaram com a série, claro que mantiveram alguns elementos do original mas pouquíssimo ao meu ver.

Carrie continua egoísta, auto intitulada e cheia de si, não gostei do “destino” que deram a personagem Samantha tendo em vista que por sua personalidade ser tão leve, decidida, desapegada e mente aberta esta jamais cortaria laços de amizade com Carrie da forma como ocorreu. Miranda foi completamente desconstruída (de uma maneira ruim diga se de passagem), totalmente fora do era no original, perdendo todo foco do personagem, sendo agora alcoólatra, uma pessoa que repele tecnologia (quando no original o contrário era a realidade, pois nunca largava seu blackberry), a parte da personagem que se manteve foi a inconstância dos seus desejos e objetivos, nunca satisfeita com a vida que leva.

A única que ainda manteve um pouco de suas características foi Charlotte sempre exagerada, puritana, focada em ter uma família perfeita, Carrie não é uma boa amiga, não tem paciência para ouvir as amigas e seus problemas, sempre super dramática e claro a cena do ataque cardíaco de John que sabemos que dava tempo de tê-lo salvo mas ela agiu como se ele já tivesse morrido no lugar de imediatamente chamar ajuda (morando num prédio luxuoso com porteiro 24 horas era só ligar na portaria e pedir socorro), ou pelo menos tirar ele do chão molhado mas de acordo com o produtor da série Michael Patrick King a morte de Big já estava planejada para o terceiro filme, que não se realizou permanecendo apenas 2 filmes.

Senti com esse revival que Sarah Jessica Parker que também é produtora executiva da série não consegue deixar a glória de ser Carrie Bradshaw para trás, a série simplesmente perdeu sua essência mas pelo menos pudemos ver o trabalho da atriz Cynthia Nixon que interpreta Miranda como diretora de um dos episódios. O Episódio dirigido por Cynthia Nixon foi o 6 “Diwali”.

A autora do livro Candace Bushnell em uma entrevista para o The New Yorker disse não ter gostado do revival por não enxergar a história que criou e se assustar com algumas decisões tomadas na série. A autora fala ainda que não reconhece seu personagem Carrie da forma como a escreveu sendo representada no seriado desde que Carrie começou a ter um caso com o Big, de acordo com a autora nada disso encaixa com o que a mesma descreve sobre este personagem e sua evolução.

Sobre And Just Like That, sabemos que até o momento não tem notícias sobre uma segunda temporada e imagino que não haverá, a personagem de Samantha Jones foi incluída apenas com mensagens de texto trocadas com Carrie mas a atriz Kim Cattrall não voltou a interpretá-la, e ainda foi produzido um documentário sobre esse retorno de Sex and The City chamado And Just Like That… The documentary que é somente um por trás da câmeras mostrando figurino, bastidores e produção de como foi trazer novamente esse universo para as telas.

Me falta ainda ler os livros da autora mas isso fica pra outro momento.

03 bananinhas
Filmes · Seriados

Maratonando: Sex and The City (Série, Filmes e Livros)

Sex and The City fez fama como um seriado baseado nos livros da jornalista Candace Bushnell lançado em 1998 com 6 temporadas, mas tudo iniciou-se com os livros, então falaremos deles.

O livro origem de toda a história é Sex and The City (BR: O Sexo e a Cidade) lançado em 1996 que é um compilado de histórias que Candace escrevia em forma de coluna para o jornal onde trabalhava, tal qual como sua personagem Carrie. Desse livro surgiu o seriado com 6 temporadas e 2 filmes e devido ao sucesso da franquia Bushnell escreveu em 2010 Os Diários de Carrie e em 2011 a sequencia Verão na Cidade que contam sobre a vida da personagem Carrie antes de Nova York ainda quando garota e tudo o que levou a mesma a ser a tão famosa colunista do sexo e estes também geraram uma série de 2 temporadas.

Candace Bushnell se tornou uma escritora do gênero Chick Lit (Romances de Ficção Feminina), escrevendo mais de 8 livros. Candace criou ainda o livro e série: Selva de Batom ( Lipstick Jungle), a série com duas temporadas estrelando Brooke Shields e Kim Raver (a Teddy de Grey’s Anatomy).

Sex and the City gerou ainda mas recentemente o seriado And Just Like That com 1 temporada lançado em 2021 (que ainda não assisti).

Título Original: Sex and The City

Status: Encerrada

Gênero: Romance/Drama

Criador:  Darren Star

Temporadas: 6

Lançamento: 1992

Sinopse: Carrie Bradshaw, uma escritora nova iorquina encontra inspiração para sua coluna nas façanhas genuínas, emocionais e muitas vezes bem-humoradas de seus amigos e amantes.

Trailer:

Sex And The City – O Filme

Lançamento: 2008

Duração: 2 horas e 20 minutos aprox.

Diretor:  Michael Patrick King

Sinopse: Depois de tantos anos Carrie está finalmente se casando com Mr. Big. Mas suas três melhores amigas devem consolá-la depois que uma delas inadvertidamente leva Mr. Big a abandoná-la.

Trailer:

Sex And The City 2

Lançamento: 2010

Duração: 2 horas e 20 minutos aprox.

Diretor:  Michael Patrick King

Sinopse: Diversão, moda e amizade continuam definindo as vidas de Carrie, Samantha, Charlotte e Miranda. As amigas passam férias em Abu Dhabi, onde terão muitas surpresas, especialmente Carrie, que, inesperadamente, encontrará Aidan.

Trailer:

Opinião do Bananas: Com relação a série e os 2 filmes: Foi bem divertido maratonar tudo, mas tenho opiniões mistas. Do Elenco, gostei bastante de Sarah Jessica Parker como Carrie esta fez um ótimo trabalho incorporando todas as mudanças (mesmo que poucas) da personagem, Kim Cattrall foi maravilhosa como Samantha, sei que ela e a Sarah Jessica tiveram seus problemas devido a alegações de que Kim estava pedindo reajuste exorbitante de salário e que a mesma provocava abusos psicológicos na equipe de produção mas isso foi desbancado pela própria atriz que afirmou que sua única exigência era não participar de uma nova sequência de sex and the city (havia rumores que teria um terceiro filme mas que foi cancelado) que estava sendo estimulada com fervor por Sarah Jessica Parker. Kim Afirmou ainda que jamais exigiu reajuste salarial ou que tenha feito qualquer outra exigência. A partir desse momento ficou bem conhecido a troca de farpas entre as atrizes.

Em 2018 o irmão da atriz Kim Cattrall faleceu e Sarah Jessica publicou uma mensagem de condolências que foi bruscamente recusada por Cattrall que em uma publicação no Instagram responder que até sua Mãe questionava quando é que a hipócrita da Sarah Jessica Parker a deixaria em paz, levantando a questão a todos do que realmente tinha acontecido entre as duas, Cattrall na mesma publicação alega que Sarah Jessica sempre agiu de forma cruel para com ela desde o inicio e ainda que ela estava usando a tragédia de Kim Cattrall para recuperar a imagem de “boa moça” e ainda anexa um link para uma coluna do NY Post esclarecendo que fizeram ela de vilã por não querer participar de um terceiro filme como relatou em entrevista a Piers Morgan que esse momento da sua carreira já havia passado e ela adorou fazer Samantha Jones mas ela é mais velha 10 anos que as outras atrizes e já não era mais momento de ela fazer continuação e é importante lembrar que Sarah Jessica Parker foi produtora executiva de ambos os filmes e provavelmente foi quem mais lucrou.

No começo de Sex and The City Kim Cattrall eram o nome mais pesado do elenco (era quem mais tinha currículo) e devido a seu personagem Samantha Jones na série ela brilhou muito mais que Sarah Jessica Parker e isso acabou levando a inveja que gerou todos os rumores que falsamente crucificaram Cattrall, que na época ganhava menos que suas companheiras de filmagem por influência da própria Sara J. que era amiga do Diretor Michael Patrick King.

Sobre os personagens: Começando por Charlotte York que vive dentro de sua própria bolha de luxo e fantasia, não é um personagem relacionável por desejar que tudo seja um conto de fadas, quase que vivendo uma manipulação da própria vida e seu marido Harry é quem firma Charlotte na realidade; Miranda Hobbes é aquela que não sabe o que quer da vida, nunca aproveita nada, pra ela nada tá bom e nada é satisfatório, ela enjoa com facilidade da própria existência e ainda humilha o marido por ele ser feliz com o que tem e por procurar sempre o melhor nas situações mas apesar disso é com ele que ela se sente mais em paz; Samantha Jones é a mais relacionável delas sempre sabe o que quer da vida, determinada, dona de si, não liga para o que outras pessoas pensam ou falam ao seu respeito, sempre deu valor a sua independência e seu espaço e é a que mais valoriza as amizades que tem e Carrie Bradshaw que é aquela persona egocêntrica beirando o narcisismo, uma péssima amiga que mesmo no sofrimento alheio faz a história ser sobre ela, sem uma gota de amor próprio dependendo das migalhas de um amor tóxico, ausência sem remorso de lealdade e fidelidade, extremamente problemática e auto intitulada, desorganizada com a própria vida sem nenhuma estabilidade e sempre em desequilíbrio financeiro e constantemente passando vergonha de graça.

Ainda me falta assistir And Just Like That e O Diário de Carrie, bem como ler o primeiro livro Sex and the City, assim que tiver concluído essas tarefas eu retorno com uma segunda parte de conteúdo. Mas afirmo que até o momento não tenho interesse em ler O Diário de Carrie e O Verão e a Cidade.

O primeiro livro tem algumas capas diferentes, aqui são algumas:

Os livros seguintes são esses: